terça-feira, 8 de março de 2011

TRAÇOS DE MULHER


óleo - traços de mulher - de Bernardino Costa (B.C.)

Contornos
Sem definição existem
Olha-se e está lá
Exposta
Crente e descrente
Persistem.
Encosta-se
Ao que representa
E está…
E lamenta
O que fazem de si.
Vai à luta, enfrenta
E grita, cresci.
Não é abordagem de tema
Não representa um esquema
E por isso vale a pena.
Não necessita representações
Nem falsas alusões
Quanto É.
Nada do que pensam
Poderá ser
Porque o que realmente importa
Nem sempre se vê.
Refaz-se, compõe-se
Ilumina-se e sobrepõe-se.
Não precisa ser lembrada
Porque nunca será esquecida
Quando a ponte é quebrada
Volta a ser reerguida.

Dina Ventura - "Only me"

1 comentário:

João Brito de Sousa disse...

HÁ LUZ NA SUA POESIA


Este poema
Tem a força da madrugada
De qualquer dia

E e poesia

Que, curiosamente
Fala da gente
E dá-nos a força

Que ás vezes nos falta

E tem em 3 ou 4 ocasiões
A grandiosidade
Do momento

Que nos conduz ao encantamento
Ao ritmo
A melodia

Que torna a mensagem bela

E nos faz adormecer
De tantas vezes a ler

Parabens poetisa.

Voltarei.

Cump.

JBS