domingo, 20 de março de 2011

ENTRE O CÉU E A TERRA


Óleo - entre o céu e a Terra - de Bernardino Costa (B.C.)

É nessa linha o encontro.
Será infinito e eterno
Ou apenas a distância
Entre mim e o horizonte.
Percorro-o, persigo-o,
Mas ele torna-se
Na minha sombra.
Sombra sem objecto,
Sem referência nem rota.
É espaço
Que não pode ser percorrido
Andando.
Só se atinge imaginando.
Recorre-se à escadaria pensada
E percorre-se sem esforço
A subida íngreme.
É a sensação de voo
Em terra
Sem asas e com elas
Que não batendo
Se sente a brisa fresca
E envolvente
Que nos ergue acima de nós
E onde nos esperamos
Sem dor e em Glória.

Dina Ventura - "Only me"

2 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
DINA VENTURA

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...

Vieira Calado disse...

Vim dar uma volta por este colectivo.

Gostei do que vi e li.

Saudações poéticas