sábado, 25 de dezembro de 2010

Litania para este Natal (1967)

Vai nascer esta noite á meia-noite em ponto
num sótão num porão numa cave inundada
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
dentro de um foguetão reduzido a sucata
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
numa casa de Hanói ontem bombardeada

Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
num presépio de lama e de sangue e de cisco
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
para ter amanhã a suspeita que existe
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
tem no ano dois mil a idade de Cristo

Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
vê-lo-emos depois de chicote no templo
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
e anda já um terror no látego do vento
Vai nascer esta noite à meia-noite em ponto
para nos vir pedir contas do nosso tempo

David Mourão-Ferreira

3 comentários:

Luís Coelho disse...

Vai nascer à meia noite
Tem dois mil a idade de Cristo
Vêmo-Lo de chicote no Templo
Pedindo-nos contas do nosso tempo

BlueShell disse...

Gostei de reler.
e te agradeço a tua visita num Natal que, para mim, encerra todas a dúvidas. Meu marido está doente com cancro. A incerteza, a dor é uma constante desde Julho. Sei que devo ter Fé...mas tenho medo...tenho muito medo.
Um beijo de agradecimento e um Feliz Natal, amiga.

Folhetim Cultural disse...

Olá parabéns pelo trabalho e pelo blog. Gostaria que visitasse meu blog que é este: informativofolhetimcultural.blogspot.com
nos siga abraços
Ass: Magno Oliveira